Ohhh Canada, sim, um país incrível que, em dois dias trabalhando no Tim Hortons (um starbucks canadense, o mais famoso, fundado em 1964), confirmei o que faz esse lugar ser tão especial: o multiculturalismo. 

Uma experiência multicultural...

Larissa Freire (´13)

Trabalhando no Tim Hortons, conheci uma Peruana, duas mulheres do Afeganistão, uma de Bangladesh, uma do Iran, um homem da India e por aí vai. A pergunta de todo dia é "where are you from"? Alguns momentos tocaram mais  meu coração e me fizeram refletir.

Ouvi a história de uma Iraniana, muito sozinha, que falou para mim "I'm sad and alone, you know, my country is Muslim, if I go back, I die". Perguntei sobre a família dela e ela me disse que eles já tinham morrido e que, se ela voltasse, também estaria sozinha. Contou-me que os pais morreram em um “acidente”, não quis entrar muito em detalhes, mas fez questão de me dizer que eles foram “very strong”. Ela estuda aqui e trabalha todos os dias incluindo sábados, das 16h às 23h15 quando a loja  fecha.

A moça do Afeganistão disse-me que veio refugiada com a família, há seis anos porque o país dela não era seguro. Aqui, ela só pode comer os doces e a batata frita porque carne só se  for de um lugar específico. Por conta disso, em dia de pizza para os funcionários, a pizza que mais sai é a “veggie pizza”. A outra moça do Afeganistão, a mesma coisa. Ambas voltaram para o Afeganistão para casar, mas ainda estão tentando patrocinar a vinda dos maridos.

 

O Tim Hortons realmente representa o que eu vejo aqui em Vancouver. Um lugar tão receptivo, aberto, multicultural e como a gerente me falou no dia em que me chamou para a entrevista: "you'll see, we have very nice people working here". Todos são iguais de coração e cabeça, e cada um vem de um lugar diferente do mundo. Não existe discriminação ou preconceito.

Alexei Freire (OLM-2006 ), Larissa (Relações Internacionais - IBMEC - 2017), 

Leon Freire ( OLM-2009 ) & Elizabeth Freire (OLM HS-Math Teacher)

Vim para o Canadá para fazer um curso  em International Business Management Co-op, o que me permite estudar seis meses e trabalhar e pôr em prática o que eu estudei em sala, nos seis meses seguintes.  No Canadá, se você não vier para estudar Inglês, você recebe também a permissão para trabalhar 20 horas semanais. Após completar esse curso, planejo fazer uma pós graduação em Supply Chain Management.

"Todos são iguais de coração e cabeça e cada um vem de um lugar diferente do mundo. Não existe discriminação ou preconceito."

Luiz Henrique, Adriana Trindade (OLM-2002),

Larissa e Victor

Wiliam, Max, Amir, Rodrigo,

Cecilia, Larissa e Victor

Com mais de um mês de Canadá, já me sinto em casa com o marido que virou a minha única família aqui. Saudades da mãe, irmãos, pai, cachorros, é inevitável, mas sei que ainda vai demorar muito até vê-los novamente. O que segura a saudade é o que eu repito muitas vezes, "don't take it for granted", ademais, eu não estou aqui sozinha. God's got a plan e nem todo mundo tem as mesmas oportunidades que eu estou tendo agora.

          Enquanto isso, sigo feliz e valorizando cada vez mais quem exerce esse tipo de trabalho ao mesmo tempo que busco oportunidades na minha área.

Leia mais sobre Larissa Freire (´13) no link ...

http://www.olm-olmatters2013-2014.com/i-want-my-kids-to-be-olm-students

Victor tem um canal do Youtube onde conta detalhes sobre 2 Cariocas por ai... https://www.youtube.com/channel/UCUeC2atr3gtDRpP0aVWmjoA